quarta-feira, 27 de abril de 2011

Separações sinceras

Dia desses me lembrei de um texto que li com uns 12 anos a respeito de dois amigos que se sentiam desconfortávis com a completa falta de assunto. Passei algum tempo buscando na internet a autoria do texto. Procurei por ele em coletâneas de contos infantis, sem sucesso. Para minha surpresa o texto foi escrito pela Clarice Lispector, uma autora que pensava ter lido apenas no ensino médio, por conta do vestibular.  

O título do conto é "Uma amizade sincera" e foi publicado na coletânea "Felicidade Clandestina". Devo ter lido em outra coletânea, da qual nem me lembro. O conto fala sobre boas amizades, silêncios constrangedores e separações sinceras. Abaixo reproduzo um trecho:

"Minha solidão, na volta de tais encontros, era grande e árida. Cheguei a ler livros apenas para poder falar deles. Mas uma amizade sincera queria a sinceridade mais pura. À procura desta, eu começava a me sentir vazio. Nossos encontros eram cada vez mais decepcionantes. Minha sincera pobreza revelava-se aos poucos. Também ele, eu sabia, chegara ao impasse de si mesmo."

Não é difícil de encontrar o texto completo na internet, basta pedir ajuda ao Sr. Google. As vezes faltamos com as pessoas ou com nossos compromissos espontâneos. Nessas ocasiões, o tempo ensina que o melhor é ser sincero, como demonstra a Sra. Clarice no conto. Ultimamente me sinto um pouco assim a respeito do blog.

Portanto, aviso que o Conceito Au irá passar por um bom tempo sem conteúdo novo. A vida profissional e acadêmica foram tornando a dedicação a esse espaço menos regular e isso não me agrada. Não vou parar de escrever: as idéias que seriam direcionadas a esse espaço continuarão a ser publicadas, mas em outro lugar. A partir de agora estarei escrevendo junto com pessoas incríveis lá no maodita a respeito de quadrinhos, literatura e agenda cultural. 

Escrever com uma equipe de pessoas promete ser divertido e quando puder eu retomo as postagens nesse espaço aqui. Do jeito certo, sem sumiços ou falta de compromisso. 

Então, nos vemos lá no Maodita! ---> http://maodita.wordpress.com/

E você, já sentiu aquele frio na barriga por ser o cara novo no pedaço?

By Doutor Estranho

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Trilha sonora gamer


Uma ida ao cinema para assistir Tron Legacy, a continuação da obra oitentista, rende boas cenas de ação, um saudosismo para quem viu a obra original e muito entusiasmo por conta da ótima trilha sonora do filme.



Em algumas partes, como a briga na boate, a música literalmente rouba a cena. Os responsáveis por toda sonoridade do filme foram Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo, os componentes do Daft Punk. A dupla francesa produz música desde a década de 90 e é velha conhecida de quem gosta de vídeo-clip ou música eletrônica.

Em 1997 lançaram o álbum Homework, do qual a música de trabalho Around the world virou um divertido video-clip que tomou conta da MTV Brasil na época. No mesmo álbum se encontra a música Da Funk, que também tem um ótimo video-clip.

Mas foi no álbum seguinte, Discovery, de 2001, que a dupla alavancou sua relação com o audiovisual. Durante as gravações os dois resolveram criar um filme baseado em cada uma das faixas do disco. O resultado foi o cultuado Interstella 5555: The 5tory of the 5ecret 5tar 5ystem, anime longa metragem produzido sob a supervisão de Leiji Matsumoto, o produtor da série Patrulha Estelar.

O filme começa com o video-clip de One more time e Aerodynamic e termina com Too long.

Em 2005 a dupla lançou o álbum Human After All, cuja faixa homônima mantém forte relação com o conceito do primeiro filme dirigido e protagonizado por eles. O longa metragem foi lançado em 2006, com o título Daft Punk’s Electroma, e estreiou durante o festival de Cannes. A história não tem nenhum diálogo e narra uma psicodélica busca dos membros do Daft Punk por suas próprias humanidades.   



Desde então, a dupla fez uma turnê mundial de shows, ganhou dois prêmios Grammy, participou da trilha sonora de Tron Legacy e do videogame DJ Hero. Com tantos anos de atividades o Daft Punk conquistou muitos fãs. Um desses gravou seu próprio vídeo-clip para a música Harder, Better, Faster, Stronger, do álbum Discovery, que ficou conhecido como Daft Hands, um viral que ganhou o mundo e popularizou ainda mais a música da dupla francesa.


E você, lembra de mais algum vídeo-clip legal do Daft Punk?

By Doutor Estranho

domingo, 2 de janeiro de 2011

Censura sem fronteiras





O jornalismo é uma profissão que envolve muitos riscos. A produção da notícia, especificamente das matérias exclusivas, por vezes é perigosa para os repórteres. Apesar do bom senso de cada profissional, realizar coberturas sobre guerras civis, atividades criminosas ou desastres naturais sempre representam algum perigo, especialmente em regiões que estejam sob censura.

Entre os casos famosos de jornalistas que morreram enquanto trabalhavam estão o jornalista da TV Globo Tim Lopes (http://www.timlopes.com.br/), assassinado por traficantes em junho de 2002 no Rio de Janeiro, e do repórter do The Wall Street Journal Daniel Pearl, seqüestrado e executado por extremistas religiosos meses antes em Karachi, Paquistão.

O caso brasileiro ganhou notoriedade na época graças aos esforços da emissora de televisão e resultou numa série de ações policiais na região do Complexo do Alemão. O caso de Pearl também foi amplamente discutido na mídia internacional por conta de seus contornos políticos e da crueldade que envolveu sua execução, filmada e depois entregue aos seus amigos jornalistas.

A família do norte-americano criou a Daniel Pearl Foundation (http://www.danielpearl.org/index.html) que promove cursos e eventos de jornalismo e música em vários países, buscando evitar que outras tragédias como essa ocorram.

A viúva de Daniel escreveu o livro A Might Heart, adaptado para o cinema em uma produção de Brad Pitt com o mesmo nome, narrando as cinco semanas nas quais ela, seus amigos e a polícia buscaram desesperadamente por pistas sobre o paradeiro do marido. O filme de 2007 foi dirigido por Michael Winterbottom e protagonizado por Angelina Jolie.

Ambos os casos constam nos arquivos do Comitê de Proteção aos Jornalistas (http://www.cpj.org/pt/), organização internacional que divulga crimes cometidos contra atuação de jornalistas em todo mundo. Segundo o site do comitê, no ano de 2010 foram assassinados 44 jornalistas com motivo confirmado, contra 21 em 2002. Um importante voto para o ano que se inicia é que esse número diminua, ao passo que os próprios profissionais se conscientizem de como o jornalismo é importante para a sociedade.

By Doutor Estranho

sábado, 4 de dezembro de 2010

Me fale do sagrado coração...



Em 1990 Renato Russo fez o exame que diagnosticou AIDS. Dali em diante gravou junto à banda três discos – V, Descobrimento do Brasil e A Tempestade, e um disco ao vivo, o Acústico MTV Legião Urbana.  Destes, o Tempestade é o que mais tem letras que fazem referência à doença ou á tristeza que acometia o compositor.

“Preste atenção ao que eles dizem. Ter esperança é hipocrisia” Com essa e outras frases não tão animadoras, Renato Russo iniciou o último álbum que a Legião Urbana gravou. O início de Natália poderia prenunciar mais pensamentos depressivos, mas logo em seguida, na mesma faixa, Renato canta “é preciso acreditar em um novo dia...”.

As letras e músicas da Legião Urbana, muitas vezes ambíguas ao falar ao mesmo tempo de política e relacionamentos, nesse último álbum transbordam melancolia e acidez. Ainda assim, as composições de Renato Russo nunca deixaram de ter um lado doce, esperançoso (como em A Via láctea).     

Memórias sobre o músico não faltam. Lembro de fazer os exercícios do colégio ao som de Legião Urbana. Também do dia em que o Jornal Nacional iniciou sua edição falando da morte do Renato. E de como, somente anos depois, eu entendi porque a letra de Sagrado Coração, constava no encarte do Uma outra estação, mas a voz de Renato não estava na música. 

By Doutor Estranho

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ao redor do mundo II




"E a mente apavora o que ainda não é mesmo velho

Nada do que não era antes quando não somos mutantes
E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vende outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso"

Sampa - Caetano Veloso
By Doutor Estranho

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Ao redor do mundo

Ou no mundo ao redor...



"Me escreva uma carta sem remetente
Só o necessário e se está contente
Tente lembrar quais eram os seus planos
Se nada mudou com o passar dos anos
E me pergunte o que será do nosso amor?

Descreva para mim sua latitute
Que eu tento te achar no mapa-múndi
Ponha um pouco de delicadeza
No que escrever e onde quer que me esqueças
E eu te pergunto o que será do nosso amor?

Ah! Se eu pudesse voltar atrás!
Ah! Se eu pudesse voltar!"

Mapa-Múndi - Thiago Pethit

By Doutor Estranho

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Repeat


E de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo... até o dia que o tempo for nos levar...

By Doutor Estranho

sábado, 28 de agosto de 2010

Palavras

Aí ele prosseguiu explicando que "as palavras das línguas naturais nada mais são que uma relação constante entre os significantes (som) e os significados (conceitos)". 


E assim fica mais fácil entender o poder das palavras e as palavras de poder. As palavras são indissociáveis dos conceitos. Mas uma só palavra pode ter vários deles... 

Penso que não haveria tanta incompreensão no mundo se as pessoas conhecessem essa idéia... As palavras viram jogos, infantis ou de poder. E a cada nova jogada são construídas as idéias e, por meio delas, o mundo de cada um. 

By Doutor Estranho

sábado, 7 de agosto de 2010

Aquela versão...

A capa


Em 1971, Gal Costa lançou um álbum duplo com os registros de uma série de shows realizados no Teatro Tereza Raquel, Rio de Janeiro. O álbum foi batizado de FA-TAL Gal A todo vapor e apresenta grandes interpretações.

Para se ter uma idéia do porte do projeto, a produção do álbum contou com a direção de Roberto Menescal, o show teve direção musical de Lanny Gordin e a direção geral de Waly Salomão. O álbum, inclusive, manteve os erros e as diferentes versões executadas pela cantora e sua banda no palco.

Destaque para as faixas Coração Vagabundo e Como 2 e 2, de Caetano Veloso, Antonico, de Ismael Silva, e Vapor Barato, de Jards Macalé e Waly Salomão. Também se destaca versão de Sua Insensatez de Roberto e Erasmo Carlos. A escolha da canção surpreendeu o público da Gal, por conta da fama de alienados que os 'tremendões' tinham na época. 

O fato é que Gal não ligava para a carreira 'Restart' do pessoal da Jovem Guarda e mandou bem na interpretação. Os versos “Meu bem, meu bem/ Use a inteligência uma vez só/ Quantos idiotas vivem só, sem ter amor” ganham outros sentidos na voz de Gal. Vale a pena conferir.

E você, conhece outra dessas interpretações inusitadas?

By Doutor Estranho 

domingo, 18 de julho de 2010

Influências

video

Por conta da paixão e das fitas k7 do meu pai, eu conheci a Legião bem cedo. E por meio de Renato e cia conheci Paralamas, Titãs, Cazuza, Beatles, Neil Young, Queen, Joni Mitchel, Beatles, Caetano, Mutantes e tudo o mais. E não foi só música não. Antes de ouvir Legião eu desconhecia completamente Rimbaud, Van Gogh e Manuel Bandeira. Foi o pontapé inicial. 

Só o que não vi, até hoje, foram os filmes do Godard...

By Doutor Estranho